E. E. PROFA. MARIA ELIZABETH VIANA

1º BIMESTRE

De que se ocupam as Ciências Sociais?

Cabe às Ciências Sociais pesquisar e estudar o comportamento social humano e suas várias formas de organização.
Assim, podemos dizer que as Ciências Sociais são o estudo sistemático do comportamento social do homem. Portanto, o objeto de estudo das Ciências Sociais é o comportamento social humano.
Com o avanço do conhecimento, tornou-se necessária uma divisão das Ciências Sociais em diversas disciplinas, para facilitar a sistematização do estudo e das pesquisas. Essa divisão abrange as seguintes disciplinas: Sociologia; Economia; Antropologia e Ciência Política.

O surgimento da Sociologia

Surgimento da Sociologia Século XVIII – (Revolução Industrial)

Pai da sociologia Augusto Comte.

Émile Durkheim criador dos fatos sociais.

• Sociologia Estuda o comportamento social humano e as interações sociais

Augusto Comte (1798 – 1857) é considerado o pai, o precursor da Sociologia. Ele foi o primeiro que usou a palavra sociologia em seu curso de filosofia. Mas foi com Émile Durkheim (1858 – 1917) que a Sociologia passou a ser considerada uma ciência e como tal se desenvolveu.
Durkheim formulou as primeiras orientações para a Sociologia e demonstrou que os fatos sociais têm características próprias, que os distinguem dos fatos que tem características estudadas pelas outras ciências. Para ele, a Sociologia é o estudo dos fatos sociais.

O que é a Sociologia

É a ciência social que estuda as relações sociais e as formas de associação, considerando as interações que ocorrem na vida em sociedade; a Sociologia abrange o estudo dos grupos sociais, a divisão da sociedade em camadas sociais, da divisão da mobilidade social, dos processos de cooperação, competição e conflito na sociedade, etc.; a Sociologia é a ciência social que estuda os fatos sociais.

(Adaptado de OLIVEIRA, Pérsio Santos Introdução à Sociologia. São Paulo, 2001,p.9 a 11).

RESPONDA

1) Qual é a ciência que estuda as relações sociais e a formas de associação?

2) Quem foi o precursor da Sociologia? Em que período ele viveu?

3) Para Durkhiem o que é sociologia?

4) Dê o conceito (o que é) de Sociologia?

5) Escreva com suas palavras porque é importante estudar sociologia.

Fato Social

Durkheim conceitua o fato social como sendo, a maneira coletiva de fazer, pensar e sentir imposta coercitivamente ao indivíduo. Podemos dizer também que os fatos sociais se referem a todos os processos de interação humana.

Os fatos sociais têm as seguintes características:

  • Generalidade

  • Exterioridade

  • Coercitividade
• Gereneralidade: qualidade de todo fato social ser comum aos membros do grupo, isto é, de ser geral.

• Exterioridade: Caráter de o fato social ser exterior ao indivíduo, existir independentemente de sua vontade.

• Coercitividade: Ação exercida, pela coerção social, que obriga os indivíduos a seguir o comportamento estabelecido.

Coercitividade social: o mesmo que pressão social, controle social.

Em virtude dessas características, para Durkheim os fatos sociais podem ser estudados objetivamente, como “coisas”. Da mesma maneira que a Biologia e Física estudam os fatos da natureza, a Sociologia pode fazer o mesmo com os fatos sociais.
Embora os fatos sociais sejam exteriores, eles são introjetados pelo indivíduo e exercem sobre ele um poder coercitivo.

Exemplos de “fato social”: modo de vestir, língua, o sistema monetário, a religião, as leis, voto, etc.

(Adaptado de OLIVEIRA, Pérsio Santos Introdução à Sociologia. São Paulo, 2001, p.9 a 11).

O que é fato social?

Antes de procurar saber qual é o método que convém ao estudo dos fatos sociais, é preciso determinar quais são esses fatos.
Se não me submeto às normas da sociedade, se ao vestir-me não levo em conta os costumes seguidos no meu país e na minha classe, o riso que provoco e o afastamento a que me submeto produzem, embora de forma mais atenuada, os mesmos efeitos de uma pena propriamente dita. Aliás, apesar de indireta, a coação não deixa de ser eficaz.
Não sou obrigado a falar a língua do meu país, nem a usar as moedas legais, mas é impossível agir de outro modo. Se tentasse escapar a essa necessidade, minha tentativa seria um completo fracasso. Se for industrial, nada me proíbe de utilizar equipamentos e métodos do século passado; mas se fizer isso, com certeza vou arruinar-me.
Mesmo quando posso libertar-me e desobedecer, sempre serei obrigado a lutar contra tais regras. A resistência que elas impõem são uma prova de sua força, mesmo quando as pessoas conseguem finalmente vence-las. Todos os inovadores, mesmo os bem-sucedidos, tiveram de lutar contra oposições desse tipo.
Aqui está, portanto, um tipo de fatos que apresentam características muito especiais: consistem em maneiras de agir, pensar e sentir exteriores ao indivíduo e dotadas de um poder coercitivo em virtude do qual se impõem como obrigação. Por isso, não poderiam ser confundidos com os fenômenos orgânicos, pois consistem em representações e ações; nem com os fenômenos psíquicos, pois estes só existem na mente do individuo e devido a ela. Constituem, portanto, uma nova espécie de fatos, que devem ser qualificados como sociais.

(Adaptado de Émile Durkheim, As regras do método sociológico, p. 389-390)

RESPONDA

1) O que é fato social e quais suas características?

2) Dê três exemplos de fato social?

3) Explique a frase: “Embora os fatos sociais existam na mente do individuo, são exteriores a ele e exercem sobre ele um poder coercitivo”.

ATIVIDADE EXTRA CLASSE

Fazer uma pesquisa sobre a biografia de Durkheim para ser entregue na próxima aula. Mínimo 15 linhas, manuscrito.


2º BIMESTRE


CONVÍVIO SOCIAL E ISOLAMENTO




A vida em grupo é uma exigência da natureza humana. O homem necessita de seus semelhantes para sobreviver.



CONHECENDO ALGUNS CONCEITOS...


Sociabilidade: Capacidade natural da espécie humana para viver em sociedade.

Socialização: É o processo social global pelo qual o indivíduo se integra ao grupo em que nasceu. Assimilando o conjunto de hábitos e costumes característicos dos grupos.

Contato Social: É a base da vida social, é a fase da associação humana onde ocorrem as interações sociais.

Contato Primário: São os contatos pessoais, diretos (face a face) e que têm uma forte base emocional. Onde as pessoas envolvidas compartilham suas experiências individuais.

Ex.: familiares, vizinhos (amigos/escola)

Contato Secundário: São contatos impessoais, calculados, formais: é mais um meio para atingir determinado fim.

Ex: clientes, colegas de trabalho, patrão, médico;


A história demonstra que “o convívio social foi e continua sendo decisivo para o desenvolvimento da humanidade” (OLIVEIRA, 2005, p. 118-19).


Com advento da globalização e de novas tecnologias aprofundam-se as transformações da sociedade. Novas formas de sociabilidade surgem nos grandes centros urbanos. O “tribalismo”, em um sentido amplo, que ultrapassa o sentido comum ligado à idéia de tribos indígenas, se torna uma das formas de expressão desses novos tipos de sociabilidade, como os punks, os surfistas, os skinheds, os funkeiros, as torcidas organizadas de futebol e as gangues da periferia urbana. Eles se reúnem em torno de afinidades ou interesses. Novas “tribos” também estão surgindo a partir do desenvolvimento de novas tecnologias da informação e da internet com as comunidades virtuais.

Nestas e em outras formas de convívio social (socialização), o compartilhamento entre os indivíduos se dá pelos contatos sociais, seja ele do tipo primário ou secundário.


CONTRASTE ENTRE OS TIPOS DE CONTATOS

CONTATO PRIMÁRIO

Ex: Família, grupo de brinquedo, pequena vila Ex: Cobrador, vendedor, empresa

a)Onde há: simpatia, afeição, amor, lealdade, consideração
b) onde as relações são: espontâneas, informais, sentimentais, íntimas, pessoais, intensas, completas, relativamente permanentes, um fim em si mesmas
c) onde os indivíduos: tentam assumir os papéis dos outros; identificar-se continuamente uns aos outros; compartilhar quase a totalidade de suas respectivas experiências, alegrias, tristezas, esperanças, sucessos e fracassos
d) onde o controle social é intenso, efetivo, poderoso devido às “expectativas de comportamento” e “direitos morais” que os outros vêm a exercer sobre cada indivíduo

CONTATO SECUNDÁRIO

a)Onde há atitudes de indiferentismo, falta de intimidade, de interesse pessoal

b) onde as relações sociais são: premeditadas, formais, racionais distantes, impessoais, frouxas, fragmentadas, transitórias, antes meios para fins do que um fim em si mesmas
c) onde os indivíduos não tentam: assumir os papéis dos outros; identificar-se uns aos outros; compartilhar de suas respectivas experiências
d) onde o controle social é fraquíssimo, devido ao fato de cada indivíduo não sentir-se na necessidade de corresponder às “expectativas de comportamento”


Algumas atitudes podem levar o indivíduo a um Isolamento Social, dificultando o convívio deste com os grupos sociais. O isolamento social é a ausência total de contatos sociais.

Abaixo apresentam-se alguns tipos de atitudes sociais, que podem reforçar o isolamento social dos indivíduos:

De ordem social.

 Atitudes que envolvem vários tipos de preconceitos: anti-semitismo (doutrina ou movimento contra os judeus), apartheid (sistema de segregação racial que era praticado na África do Sul privilegiando a maioria branca) e preconceitos diversos tais como: cor, religião, sexo etc.

De ordem individual

 Atitudes como a timidez, o preconceito e a desconfiança podem levar o individuo ao isolamento parcial, se agregando a um grupo com as suas mesmas características.

Portanto as relações de convívio social, nesta nova sociedade globalizada, podem favorecer o convívio social ou o isolamento.


Trabalho em grupo de até 4 pessoas

Leia o texto atentamente:

Amala e Kamala eram duas meninas que foram descobertas em 1921, numa caverna da Índia, vivendo com lobos. Essas crianças, que na época tinham aproximadamente idade de 4 e 8 anos, foram levadas para um asilo e passaram a ser observadas por estudiosos. Amala, a mais jovem, não resistiu à nova vida. A outra, porém, viveu mais uns oito anos. Ambas apresentavam hábitos alimentares bastante diferentes dos nossos. Como fazem normalmente os animais, elas cheiravam a comida antes de tocá-la, dilacerando os alimentos com os dentes e poucas vezes fazendo o uso das mãos como instrumento para beber e comer. Possuíam aguda sensibilidade auditiva e desenvolvimento do olfato para a carne. Para se locomover apoiavam-se sobre as mãos e os pés, adotando uma marcha quadrúpede, como faziam os antigos companheiros, os lobos. Kamala, por exemplo, levou seis anos para utilizar a marcha ereta. Notou-se também que Kamala não se sentia à vontade na companhia de outras pessoas, preferindo a dos animais, que se entendiam maravilhosamente com ela, jamais se espantando quando de sua aproximação.

(A. Xavier Teles, Estudos Sociais, p. 115-116) Texto adaptado de OLIVEIRA, Pérsio. Introdução à sociologia. 2005, p. 17-18.

QUESTÕES

A partir dos conceitos estudados, responda:

1) Explique o que é isolamento social e quais os mecanismos que reforçam este tipo de comportamento?

2) Porque um indivíduo criado fora da convivência humana não se torna humano?

3) Kamala se sentia mais à vontade com animais do que com humanos, explique por quê?

4) Vocês concordam com a afirmação “O homem é por natureza um animal social”? Explique.

3º BIMESTRE
TEMA I: AGRUPAMENTOS SOCIAIS

TÓPICO I: OS GRUPOS SOCIAIS

O agrupamento dos homens é condição essencial para a sobrevivência da espécie humana. Para o sociólogo Karl Mannheim, os contatos e os processos sociais que aproximam ou afastam os indivíduos provocam surgimento de diversas formas de agrupamentos sociais, de acordo com o estágio de integração social.

Os grupos sociais se diferem de outros agrupamentos, pois apresentam características especificas: possuem contatos sociais mais duradouros, formas mais estáveis de integração social, normas, hábitos e costumes próprios, divisão de funções e posições sociais bem definidas. Exemplo: família, escola, Igreja, clube, Estado, empresa, etc.

Grupo social é a reunião de duas ou mais pessoas, associadas pela interação, e, por isso, capazes de ação conjunta, visando atingir um objetivo comum.

Os principais grupos são: grupo familial (família); grupo vicinal (vizinhança); grupo educativo (escola); grupo religioso (Igreja); grupo de lazer (clube); grupo profissional (empresa); grupo político (o Estado).

Grupos sociais também se diferenciam uns dos outros quanto às formas de relação social que seus membros estabelecem entre si. Assim, pode-se classifica-los em: grupos primários (contatos mais pessoais, diretos, com base emocional – família, vizinhos, amigos, etc); grupos secundários (contatos diretos – face a face, indiretos – carta, telefone, e-mail; impessoal, sem intimidade); grupos intermediários (alternam entre os dois tipos de contatos dos grupos primários e secundários).

(Adaptado de OLIVEIRA, Pérsio Santos Introdução à Sociologia. São Paulo, 2001, p.37 a 39).


TÓPICO II: MULTIDÃO

A multidão representa um agrupamento com características distintas do grupo social. Ela é um agrupamento que reúne um grande numero de indivíduos num mesmo lugar, sem haver tratado explicitamente de reunir-se, é uma reunião espontânea. Cada um trata-se de satisfazer ao mesmo tempo uma idêntica motivação individual.

Exemplos: um grupo fugindo de um prédio em chamas, grupo de curiosos diante de um acontecimento excitante, grupo que se encontra na rua para brincar carnaval, etc.

TÓPICO III: MASSA

A massa consiste em um agrupamento de pessoas relativamente grande, separadas e desconhecidas umas das outras, não obedecendo a normas sua formação é espontânea. Massa é, portanto, formada por indivíduos que recebem, de maneira mais ou menos passiva, opiniões formadas, que são veiculadas pelos meios de comunicação.

Exemplos: pessoas que assistem ao mesmo programa de televisão, que lêem o mesmo jornal, ou a mesma coluna, que vêem um anúncio num cartaz, etc.

TÓPICO IV: MECANISMOS DE SUSTENTAÇÃO DOS GRUPOS SOCIAIS

Os mecanismos de sustentação dos grupos sociais são uma serie de forças que os mantêm. As principais são: liderança, normas e sanções sociais, valores sociais e os símbolos.

LIDERANÇA – a liderança é uma ação exercida por um líder, é aquele que desempenha um papel integrador entre seus membros, transmite-lhes idéias, normas e valores sociais, ao mesmo tempo em que representa os interesses do grupo. Existem dois tipos de liderança:

LIDERANÇA INSTITUCIONAL: está ligado a autoridade que uma pessoa exerce por ocupar uma determinada posição social ou hierárquica (do cargo que ocupa); o gerente de uma empresa, um pai de família, o diretor de uma escola são exemplos desse tipo de liderança.

LIDERANÇA PESSOAL: se origina das qualidades pessoais de uma pessoa, não é algo imposto como na liderança institucional, o líder é eleito pelo seu grupo social, por exemplo, Getúlio Vargas, Adolf Hitler, Lula, entre outros.

NORMAS E SANÇÕES SOCIAIS

NORMAS SOCIAIS – conjunto de regras que orientam e controlam o comportamento das pessoas na sociedade ou no grupo. Elas indicam o que é permitido e o que não é.

SANÇÃO SOCIAL – Aprovação ou reprovação que a sociedade ou grupo social dá ao comportamento de um indivíduo ou conjunto de indivíduos, e que se manifesta por meio de atos informais ou formalizados, individuais ou coletivos.

Podemos perceber que norma e sanção social não se dissociam, pois se um indivíduo cumpre o que se espera dele, o grupo social aprova através de elogios, aplausos, promoções, ou seja, aplicou uma sanção aprovativa. Mas se esse indivíduo desobedece a uma norma social, este será punido por tal ato. As punições podem variar entre insulto, zombaria, prisão e até pena de morte, dá-se o nome de sanção reprovativa a este tipo de comportamento social.

VALORES SOCIAIS

São valores que a sociedade estipula como bom ou ruim, o bonito e feio, o que é certo ou errado. Dessa forma, as idéias, as opiniões, os fatos, os objetos são avaliados dentro de um contexto social que lhes atribui um significado, um valor e uma qualidade determinados.

Os valores sociais variam no tempo e no espaço, em função de cada época, cada sociedade e cada geração. Podemos pensar, por exemplo, que até pouco tempo atrás o sexo era um tabu que não se falava na família, na escola e era permitido somente após o casamento com o objetivo de gerar filhos. Atualmente, esse valor se modificou e as mulheres que fazem sexo antes do casamento não são mal faladas, como era antes.

Outra questão que se impõe socialmente são as rápidas transformações sociais que põem em choque valores de gerações muito próximas, por exemplo, a oposição de opinião entre pais e filhos, esse conflito de opiniões é chamado de choque de gerações, os novos valores chocam-se com os valores já estabelecidos, criando-se uma tensão entre adultos e jovens.

SÍMBOLOS

O símbolo é algo cujo valor é atribuído pelas pessoas que o utilizam. Qualquer coisa pode ser tornar símbolo; o homem ao atribuir valor a determinado objeto, cor, hino faz dele um símbolo. Os símbolos sempre comunicam algo, transmite o valor atribuído a algo valorizado na sociedade. Por exemplo, a aliança é um objeto que simboliza a união e a fidelidade entre casais. A linguagem é a mais importante expressão simbólica. Através dela a humanidade se organiza para continuar existindo. Dessa forma, podemos dizer que o comportamento humano é possível porque é mediado pelo simbólico, porque é somente o homem que utiliza os símbolos. Sem eles não haveria cultura.

(Adaptado de OLIVEIRA, Pérsio Santos Introdução à Sociologia. São Paulo, 2001, p.37 a 46).

EXERCÍCIO

1) Leia atentamente o texto abaixo e responda:

“Durante uma era glacial, muito remota, quando parte do globo terrestre esteve coberto por densas camadas de gelo, muitos animais não resistiram ao frio intenso e morreram, indefesos, por não se adaptarem às condições do clima hostil. Foi então que uma grande manada de porcos-espinhos numa tentativa de se proteger e sobreviver, começou a se unir, a juntar-se mais e mais. Assim, cada um podia sentir o calor do corpo do outro. E, todos juntos, bem unidos agasalhavam-se mutuamente, aqueciam-se enfrentando por mais tempo aquele inverno tenebroso. Porém, vida ingrata, os espinhos de cada um começaram a ferir os companheiros mais próximos, justamente aqueles que lhe forneciam mais calor, aquele calor vital, questão de vida ou morte. E afastaram-se, feridos, magoados, sofridos. Dispersaram-se, por não suportarem mais tempo os espinhos de seus semelhantes. Doíam muito... Mas essa não foi a melhor solução: afastados, separados, logo começaram a morrer congelados. Os que não morreram voltaram a se aproximar, pouco a pouco, com jeito, com precauções, de tal forma que, unidos, cada qual conservava uma certa distancia do outro, mínima, mas o suficiente para conviver sem ferir, para sobreviver sem magoar, sem causar danos recíprocos. Assim suportaram-se, resistindo à longa era glacial. Sobreviveram”.

a) Este texto é uma metáfora que trata da existência humana. Partindo do conceito de agrupamento social, explique porque o homem precisa de um grupo social para sobreviver.

b) Relacione os vários grupos sociais de que você participa.

c) Os grupos sociais podem ser classificados em três categorias. Quais são elas e quais suas características? Dê exemplos.

2) Porque a liderança é considerada um mecanismo de sustentação dos grupos sociais?

3) O que poderia acontecer se em um grupo não houve normas e sanções sociais?

4) Com base nos valores sociais, explique a citação “o trabalho doméstico e o cuidado dos filhos eram considerados tarefas exclusivamente femininas. Atualmente, isso não mais acontece, pelo menos nas grandes cidades. Um pai dando mamadeira ao filho é olhado com simpatia e aprovação”. (OLIVEIRA, Pérsio Santos, 2001)

5) O que é símbolo? Qual deles é o mais importante? Por quê?

6) Dê exemplos de símbolos existentes em nossa sociedade?

TÓPICO V: SISTEMA DE STATUS E PAPÉIS

STATUS SOCIAL

Status e papel social são inseparáveis, um está ligado ao outro diretamente, ou seja, não tem como falar em status sem se referir ao papel social. Contudo, só se distingue para fins de estudos.

Todo individuo ocupa, em um grupo social, uma determinada posição. Essa posição é chamada de status social. Conforme o valor social conferido a cada posição, o status implica direitos, deveres, prestigio e até privilegio. Sabemos que um indivíduo pertence a vários grupos sociais, sendo assim, este individuo ocupará status em cada um dos grupos a que pertencer.

O status pode ser atribuído ou adquirido. No caso do status atribuído, o individuo não escolhe voluntariamente (por vontade própria) seu status e também não depende de suas ações ou qualidades. Temos como exemplo o status “a irmã caçula”, “o filho operário”, “a criança órfã”, entre outros. Os principais fatores atribuidores de status são: idade, sexo, raça, laços de parentesco, classe social, etc. Já o status adquirido, como o próprio nome diz, é uma aquisição obtida pelo individuo em função das suas qualidades pessoais, de sua capacidade e habilidade. A pessoa ao longo de sua vida trava competições e luta e, para vencer o rival lança mão de suas capacidades e habilidades; o reconhecimento de tal êxito pelo seu grupo social lhe atribui um status. Por exemplo: “o engenheiro da Fiat”, “o melhor aluno do ENEM”, entre outros.

PAPEL SOCIAL

Os papeis sociais estão ligados diretamente às tarefas, obrigações referentes ao status. Portanto, os papeis sociais são comportamentos que o grupo social espera de qualquer pessoa que ocupe determinado status social. O aluno (papel social) ao vir para a escola, participar das aulas, fazer as atividades, enfim, cumprindo seus deveres, estará cumprindo seu papel social. Todas as pessoas sabem esperar e exigir do individuo de acordo com o status que ele ocupa no grupo ou na sociedade. Sendo assim, o grupo ou a sociedade encontra meios para punir os indivíduos que não cumprem seu papel. Por exemplo: o individuo que é pai e não cumpre esse papel sofre punição judicial.

(Adaptado de OLIVEIRA, Pérsio Santos Introdução à Sociologia. São Paulo, 2001, p.47 a 49).

ATIVIDADES

1) Escreva sobre alguns status sociais que você ocupa, se são atribuídos ou adquiridos e quais os papéis que você representa em cada um.

2) Qual deles é mais importante para você? Justifique.

3) O que faz com que status e papel social sejam inseparáveis?

4) Cite um símbolo social que expresse status social elevado? Justifique.


TÓPICO VI: ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO SOCIAL



ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO SOCIAL

A estrutura social corresponde a um conjunto de partes ligadas que forma um todo, ou seja, é a totalidade de status existentes num determinado grupo social ou sociedade. A título de exemplo usaremos um organograma de uma escola, mas é importante ficar claro, que existem várias outras estruturas.

Se a estrutura social diz respeito aos status existentes, a organização social corresponde ao conjunto de todas as ações que são realizadas quando os membros de um grupo desempenham seus papeis sociais. Neste sentido, cada um dos participantes de uma estrutura desempenha o papel correspondente à posição social que ocupa.

É importante saber que a estrutura social nos parece fixa, enquanto a organização se apresenta como mais dinâmica (movimento), contudo, tanto a estrutura quanto a organização podem passar por um processo de mudança social.

(Adaptado de OLIVEIRA, Pérsio Santos Introdução à Sociologia. São Paulo, 2001, p.49 a 50).

VAMOS REFLETIR

1) Explique o que é estrutura social.

2) Explique e dê exemplo de organização social.

3) A estrutura e a organização social estão direta ou indiretamente ligadas? Justifique.


TEMA: FUNDAMENTOS ECONÔMICOS DA SOCIEDADE

TÓPICO I: O PROCESSO DE PRODUÇÃO

O processo de produção é composto por três elementos interligados: o trabalho, a matéria-prima e instrumentos de produção. Produção é a transformação da natureza para bens necessários para satisfazer a necessidade humana. Portanto, a atividade de produção é a atividade econômica mais importante.

Para compreendermos melhor o processo de produção é necessário pensar como um determinado objeto de uso foi construído. Tomemos como exemplo a confecção de um móvel, pode ser uma cadeira, mesa, cama ou qualquer outro que utilize a matéria prima madeira: a árvore (matéria bruta) é derrubada; as toras de madeira (matéria prima) vão para a indústria de móveis. Lá chegando, sofre ação de transformação por meio de maquinas e equipamentos e do trabalho dos operários. O resultado desse processo é um bem que será colocado à venda. Em seguida, um outro trabalhador vai até o estabelecimento que vende esse produto e, com o salário que recebeu por seu trabalho adquire o produto que está à venda. Portanto, podemos pensar que ao viverem em sociedade, as pessoas participam ativamente da produção, da distribuição e do consumo de bens e serviços. Uma distinção é necessária, bem se refere a algo concreto, palpável, já o serviço diz respeito a algo abstrato, não palpável. Por exemplo: uma consulta médica, uma aula, a entrega de um jornal.

No que diz respeito ao trabalho, a energia física e mental gasta por uma pessoa para executar determinada atividade é chamada de força de trabalho.

Podemos considerar como trabalho toda atividade desenvolvida pelo homem, seja ela física ou mental da qual resultam bens e serviços. Todo trabalho é a combinação da atividade manual e intelectual, por vezes, temos trabalhos com predominância manual ou intelectual. O trabalho predominantemente intelectual, geralmente, é qualificado.

O trabalho, quanto à sua execução, pode ser classificado em dois tipos:

- trabalho qualificado – exige certo grau de aprendizagem para a sua realização, por exemplo, o trabalho de um torneiro mecânico.

- trabalho não-qualificado – não exige aprendizagem anterior, poder ser executado por simples imitação.

Assim, é importante observar que os salários são pagos de acordo com as exigências das capacidades das pessoas para exercer uma determinada função.

Como foi dito antes, a matéria prima também é parte do processo de produção. Então precisamos entender claramente o que é matéria prima. Matéria prima é qualquer objeto que pode ser transformado para constituir o bem final.

A matéria prima não poderá ser modificada se não houver os instrumentos de produção (ferramentas de trabalho), assim, entendemos por instrumentos de produção todo bem utilizado pelo homem na produção de outros bens e serviços.

A união entre matéria prima e instrumentos de produção é chamada de meios de produção. Assim, sem os meios de produção o homem não pode trabalhar e sem o trabalho do homem nada pode ser produzido.

Dessa forma, o trabalho e os meios de produção constituem forças produtivas.

MATERIA PRIMA + INSTRUMENTOS DE PRODUÇÃO = MEIOS DE PRODUÇÃO

MEIOS DE PRODUÇÃO + HOMENS = FORÇAS PRODUTIVAS

Os homens no processo produtivo dependem uns dos outros, as relações que se estabelecem entre eles na produção, na troca e na distribuição é chamada de relações de produção.

(Adaptado de OLIVEIRA, Pérsio Santos Introdução à Sociologia. São Paulo, 2001, p.53 a 58).


ATIVIDADES

1) O processo de produção é composto por três elementos interligados. Explique detalhadamente as características de cada um deles.

2) Escreva, passo a passo, como é realizado o processo de produção na confecção de uma roupa, explicitando os conceitos necessários.

3) Defina o conceito de trabalho.

4) Os meios de produção são a condição necessária para realizar um trabalho. Explique por quê? Dê um exemplo.

5) “No ano de 2007 o Sistema Nacional de Emprego, do Ministério do trabalho confirmou uma realidade: sobram vagas e faltam profissionais talhados para atender às exigências do mercado”. (Revista Trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego). Como você explica essa realidade?

6) Tomando como base a sua resposta na questão anterior, proponha alguma ação para solucionar esse problema.

TÓPICO II: MODOS DE PRODUÇÃO

A maneira pela qual a sociedade produz seus bens e serviços, como utiliza e como os distribui é chamado de modos de produção. Ele é formado por suas forças produtivas (meios de produção) e pelas relações de produção (relações entre os homens no processo de produção). O modo de produção é o centro organizador de todos os aspectos uma sociedade.


FORÇAS PRODUTIVAS + RELAÇÕES DE PRODUÇÃO = MODO DE PRODUÇÃO


Ao longo da historia, os homens tem produzido aquilo que necessitam de vários modos. Dessa forma, temos o modo de produção primitivo, o escravista, o asiático, o feudal, o socialista e o capitalista. Este último é o que está presente em nossa sociedade.

A principal característica do modo de produção capitalista são as relações assalariadas de produção (trabalho assalariado). As relações de produção capitalista se baseiam na propriedade privada dos meios de produção e no trabalho assalariado. No capitalismo temos duas classes principais: a burguesia (donos dos meios de produção) e os trabalhadores assalariados (força de trabalho). O desejo de lucro é o motor do desenvolvimento do modo de produção capitalista.

O capitalismo compreende quatro etapas:

- pré-capitalismo (séc. XII a XV) – o modo de produção feudal ainda predomina, mas começam a surgir as relações capitalistas;

- capitalismo comercial (séc. XV a XVIII) – a maior parte do lucro fica nas mãos dos comerciantes; o trabalho assalariado torna-se o mais comum;

- capitalismo industrial (séc. XVIII a XX) – com a revolução industrial, o capital (dinheiro) passa a ser investido nas indústrias; firma-se o trabalho assalariado;

- capitalismo financeiro (séc. XX) – os bancos e outras instituições financeiras passaram a controlar as demais atividades econômicas, através de financiamentos à agricultura, à industria, à pecuária e ao comércio.


TEMA: ESTRATIFICAÇÃO E MOBILIDADE SOCIAL

TÓPICO I: ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL

É o mesmo que uma divisão da sociedade em estratos, camadas quanto ao nível de renda, educação, posição social, gênero (homem/mulher), raça (negros/brancos/pardos, etc) entre outras. A estratificação social indica a existência de desigualdades entre as pessoas de uma determinada sociedade.

A estratificação social pode ser dividida em três tipos:

- estratificação econômica: tem como fundamento a posse de bens materiais, fazendo com que haja pessoas ricas, pobres e em situação intermediaria; Assim temos as seguintes divisões: grupo ou camada A – pessoas de renda alta; grupo ou camada B – pessoas de renda média e grupo ou camada C – pessoas de renda baixa.

- estratificação política: baseada na situação de mando na sociedade; grupos que tem poder e grupos que não o tem;

- estratificação profissional: baseada nos diferentes graus de importância atribuídos a cada profissional pela sociedade. Ex: valoriza-se mais a profissão do advogado do que a de um lixeiro.

Apesar da divisão, todos os aspectos (econômicos, políticos, social, etc.) de uma sociedade estão interligados, portanto não podemos pensar na estratificação separadamente. Por exemplo, as pessoas que ocupam altas posições econômicas, em geral, também têm poder e desempenham funções valorizadas socialmente. Contudo, o aspecto econômico é mais importante que os outros na caracterização da sociedade.

Em nossa sociedade (paises capitalistas) as camadas de estratos são chamadas de classes sociais. Em outras sociedades são chamadas de castas (Índia), estamentos (Europa ocidental no período feudal). Contudo, cada um desses estratos tem características distintas (diferentes).

A estratificação social está presente em todas as épocas: desde os primeiros grupos de indivíduos (homens das cavernas) até nossos tempos. Ela apenas mudou de forma, de intensidade, de causas.

É importante saber que a estratificação é fruto das desigualdades sociais, ou seja, existe estratificação porque existem desigualdades.

A revolução industrial e a evolução dos sistemas econômicos contribuíram para que as questões sobre a desigualdade social fossem melhor visualizadas, discutidas e percebidas.

Umas das características fundamentais que distingue nossa sociedade das antigas é a possibilidade de mobilidade social.

Diferentemente da sociedade medieval na qual quem nascesse servo, morreria servo, e na qual não era possível lutar por direitos e por uma oportunidade de mudar de classe, em nossa sociedade isto já é possível, especialmente através da educação, do investimento na formação, do trabalho duro, esforço e planejamento. em outras ocasiões isso foi conseguido por meio de movimentos sociais, que, no caso do Brasil, muitas vezes atuam exatamente da mesma forma que grupos insurgentes ou terroristas em outros países.


TÓPICO II: MOBILIDADE SOCIAL


O fato de vivermos em uma sociedade capitalista traz a possibilidade de assumirmos uma outra posição diferente da que estamos ocupando atualmente. Neste sentido, a mobilidade social é um conceito Caracterizado pela mudança de posição social de uma pessoa em um determinado sistema de estratificação social.

A mobilidade social pode ser de dois tipos: mobilidade social vertical e horizontal.

A mobilidade social vertical se caracteriza pelo movimento de uma pessoa de subir ou descer na hierarquia social. Quando uma pessoa melhora sua posição no sistema de estratificação social, passando a integrar um grupo de posição superior ao que ocupava antes, dizemos que é uma mobilidade social vertical ascendente. Ao contrário, uma pessoa que piora sua posição no sistema de estratificação social e passa a integrar um grupo de posição inferior, estamos diante de uma mobilidade social vertical descendente.

No caso da mobilidade social horizontal, a mudança de uma posição social se dá dentro da mesma camada social, ou seja, se um pedreiro muda de religião, ele muda sua posição social, porém na mesma camada.

ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL

Identifica um tipo de estrutura social, onde aparece o papel social de cada indivíduo em classes sociais.

Mobilidade ascendente

Mobilidade Descendente


Mobilidade Vertical

Ocorre no sentido ascendente ou descendente na hierarquia

Mobilidade Horizontal

Ocorre quando a mudança de uma posição social a outra se opera dentro da mesma camada social.


EXERCÍCIOS


1) Relacione o modo de produção capitalista com a estratificação econômica.

2) Relacione estratificação social e mobilidade social.

4) Entre os tipos de estratificação social, um deles tem sido o mais determinante. Dê o nome desse tipo de estratificação social e explique sua importância na caracterização da sociedade.

5) Faça um quadro representando a estrutura de um grupo social do qual você participa, utilizando um ponto ou uma bolinha para cada status existente.


O PAIS DA MOBILIDADE SOCIAL


Lírio Parisotto acha graça das lembranças da infância difícil, quando ia descalço para a escola para não estragar os sapatos novos. Filho de trabalhadores rurais, ele foi criado num sítio em Nova Bassano, no interior do Rio Grande do Sul. Não sabia muito bem o que fazer da vida, só tinha uma certeza: não queria continuar na roça. Para sair de lá começou a fazer mascates até abrir o próprio negócio.

Nascido em Portugal, Alberto Saraiva conta que aprendeu a vender com o pai, caixeiro viajante que comercializava doces no norte do Paraná . Aos 20 anos, trancou matrícula na faculdade para assumir a padaria da família depois que o pai foi assassinado durante um assalto.

Afonso Celso, por sua vez, lamenta o número de vezes que viu a família ser despejada por falta de pagamento de aluguel das casas em que morava em Osasco, na Grande São Paulo. Filho do meio de sete irmãos, teve de procurar emprego para completar a renda doméstica e, aos 16 anos, trabalhava como office-boy no (banco) Bradesco.

Além de um início difícil, os três personagens acima têm em comum uma história de ascensão social movida a empreendedorismo. Lírio Parisotto deixou a roça no começo da década de 1970 para montar um videoclube que vendia televisores e videocassetes em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha. A empresa virou líder de mercado na região e Parisotto é hoje dono da Videolar,, fabricante de CDs e DVDs.

Depois da morte do pai, Alberto Saraiva obteve sucesso na administração da padaria da família, vendendo pãezinhos 30% mais baratos do que a tabela do governo. Em 1988, repetindo esse conceito de preços baixos para atrair a clientela, abriu o Habib’s, que acabou se tornando a segunda maior rede de fast food do país, com 300 lojas.

Por fim, o ex-office-boy Afonso Celso de Barros Santos evoluiu rápido no Bradesco. Quando saiu de lá, depois de 22 anos de carreira, investiu 100 mil dólares de sua poupança para comprar 21 carros e montar a Avis e a Budget, locadoras que contam hoje com uma frota de 19 mil veículos.

Adaptado de: POLONI, Gustavo. O país da mobilidade social. Exame,10.10.07


VAMOS REFLETIR

1. Identifique no texto acima, características de estratificação social e mobilidade social.

2. .Estabeleça a relação entre estratificação e mobilidade social.

3. Entre os tipos de estratificação social, um deles tem sido determinante. Dê o nome desse tipo de estratificação social e explique sua importância na caracterização da sociedade.

4. O que você entende por classe social?

5. Como você define as classes médias?

6. Pesquise dados que possibilitem formar uma idéia sobre a estratificação social no Brasil de hoje.



A LUTA DE CLASSES SEGUNDO MARX


Uma classe oprimida é a condição vital de toda sociedade fundada no antagonismo entre classes.

A grande indústria aglomera num mesmo local uma multidão de pessoas que não se conhecem. A concorrência divide seus interesses. Mas a manutenção do salário, esse interesse comum que têm contra seu patrão, reúne-os num mesmo pensamento de resistência e coalizão (isto é, os trabalhadores se organizam em sindicatos e outras formas de associação para lutar pelos seus direitos).

Portanto, a coalizão tem sempre um duplo objetivo: cessar a concorrência entre os trabalhadores e realizar uma concorrência geral contra o capitalismo.

O primeiro objetivo da resistência é apenas a manutenção do salário. Mas, na medida em que os capitalista se unem para reprimir a resistência dos trabalhadores, as coalizões também se unificam. E a manutenção da resistência torna-se mais importante do que a manutenção do salário.

Nessa luta verdadeira guerra civil concentram-se e se desenvolvem todos os elementos necessários a uma batalha futura. E, uma vez que se chega a esse ponto, a associação adquire um caráter político.

Adaptado de: MARX, Karl.Miséria da Filosofia. 2.ed. Rio de aneiro:Leitura.1965.p.81,83,89.



Vamos Refletir

1. Segundo o texto, o que é que leva os trabalhadores a se organizarem em associações?

2. Cite dois exemplos de luta de classes no Brasil atual.

3. Na opinião de Marx, quando é que o movimento dos trabalhadores adquire um caráter político?

4. Cite um exemplo, na história do Brasil, de passagem do movimento sindical à luta de caráter político.


10 comentários:

  1. Professora,como faço para ver algumas respostas?
    Estou com um trabalho aki e preciso pra ontem dessas resposta tem como vc mim ajudar ?

    ResponderExcluir
  2. quero as respostas pois afinal entrei no google

    ResponderExcluir
  3. respostassssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
  4. professora como faço p ve as respostas e q preciso p o mais rapido possivel

    ResponderExcluir
  5. como faço pra obter as respostas?

    ResponderExcluir
  6. Gostaria que me mandasse as respostas...

    ResponderExcluir
  7. eu n peguei a ideia,

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. e as respostas que é bom niguem coloca né ...
    eu quero é as resposta pois as perguntas eu ja tenho ...

    ResponderExcluir